POR QUE ENGORDAMOS?

A vida dos seres humanos, como a conhecemos hoje, já foi completamente diferente num passado recente. Há dois séculos, não tínhamos veículos e tantas ferramentas para nos proporcionar fartura e conforto. O trabalho tinha que ser feito manualmente, o que consumia muita energia. O alimento também era diferente e menos abundante. Havia menor quantidade e variedade de carboidratos à disposição. A rotina de refeições era uniforme e as pessoas costumavam levantar com o nascer do sol e se deitar por volta das 9 horas da noite, recebendo um descanso adequado.

A partir da revolução industrial até os dias de hoje, máquinas passaram a fazer o trabalho pesado. Não andamos mais a pé nem precisamos produzir nosso próprio alimento. Boa parte dos empregos exige muito mais esforço intelectual do que físico. As indústrias multiplicaram por 100 a capacidade de produzir alimentos. A maior parte deles, carboidratos, os vilões do ganho de peso. Também foram criados outros compostos com alto grau calórico e tóxico como a gordura trans e os conservantes. Cada vez mais produtos apresentam nível de sódio elevado, o que favorece o inchaço, por causa do acúmulo de água dentro das células. Estamos sempre correndo, sem tempo para o preparo de refeições frescas e equilibradas. De olho em nossos celulares, dormimos cada vez mais tarde, privando nosso corpo do descanso merecido.

Essa mudança de hábitos pegou nosso corpo de surpresa. Geneticamente ele foi programado por milhares de anos para receber uma quantidade muito menor de carboidratos e uma freqüência muito maior de exercícios. Nosso organismo também está habituado a descansar à noite, com pelo menos 8 horas de sono, acordando com a luz do amanhecer. Ingerindo carboidratos em excesso, as pessoas têm à disposição muito mais energia que o necessário. Esse excedente é armazenado pelo corpo na forma de gordura, tanto embaixo da pele quanto entre os órgãos internos. Esses carboidratos, se industrializados, vêm acompanhados de uma quantidade enorme de sódio, que retém muita água durante sua digestão. O resultado é um aspecto corporal indesejado, gordo e inchado. A falta de descanso e horários definidos para se alimentar promove ainda a liberação de hormônios que pioram a situação. Sem a informação adequada, as pessoas não sabem o que fazer para mudar essa realidade. Em desespero, acabam adquirindo produtos que prometem emagrecimento rápido e fácil. Quando isso não acontece, se frustram e se tornam deprimidas, o que resulta em mais ganho de peso e queda no rendimento intelectual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir no whatsapp
Olá, como posso te ajudar?